CONFIRA OS RESUMOS DAS DUAS ÚLTIMAS EDIÇÕES DO PRÊMIO SER HUMANO.

2014 | 2013

2014

MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – ORGANIZAÇÃO

Algar Universidade de Negócios (MG)
Case: Integrar – Plano de desenvolvimento de talentos da Algar Telecom integrado com a estratégia do negócio

O case foi motivado pelo desafio de ter talentos desenvolvidos e qualificados para alavancar os resultados da organização, contribuir com o alcance dos objetivos estratégicos e promover a retenção e transferência dos conhecimentos-chave (tácito para explícito).

O Plano de Desenvolvimento de Talentos, criado sob medida para atender à necessidade da Algar Telecom, reúne elementos inovadores como: LND 360º – Levantamento de Necessidades de Desenvolvimento 360º– método elaborado para a identificação de gaps e de competências essenciais ao negócio Telecom e a serem desenvolvidas na empresa –, que promove a participação de associados de todos os níveis hierárquicos por meio de entrevista, workshop e pesquisa; Utilização de Trilha de Desenvolvimento com ações de desenvolvimento presencial, a distância e híbrida, de forma a contemplar 100% de participação do quadro da empresa; Utilização de Programa de Milhagem para estimular o engajamento; Criação de Política de Multiplicadores Internos; e Mensuração dos Resultados.

Entre os principais resultados alcançados estão: transferência de conhecimento tácito para explícito, desenvolvimento de competências essenciais para o negócio, ganho de conhecimento, melhoria de processos e sistemas, redução de custos na contratação de consultores e economia em gastos com viagens, hospedagem e coffee break.

Mais informações
dayse@algartelecom.com.br (Dayse Freitas)
lucianacf@algartelecom.com.br (Lucia Coelho)
pfonseca@unialgar.com.br (Patrícia Fonseca)
soniasb@unialgar.com.br (Sonia Santos)


Banco Mercantil do Brasil (MG)
Case: Líderes formando líderes – Projeto Diretoria de Tecnologia

O projeto surgiu a partir do estudo quantitativo e qualitativo dos resultados da Pesquisa de Clima aliado às percepções do diretor e seus respectivos gerentes, motivados com o propósito de aprimorar a qualidade nas relações de gestão e feedback das equipes.

Na primeira fase, o projeto teve como objetivo promover o alinhamento de conceitos, vivência nas ferramentas e experimentação das práticas de gestão de pessoas contemporâneas, voltadas para as demandas da diretoria. Foi conduzido por um coach externo e a presença de um representante da área de Capital Humano.

Na segunda fase, o modelo aplicado foi formatado pelos próprios gestores e área de Capital Humano. Com o objetivo de formação dos gestores subordinados através do modelo “líder-coach” e do compartilhamento no grupo das experiências em relação às oportunidades de aprendizagem e melhores práticas de gestão nas equipes. Esse formato efetivou aplicação e adequação dos conceitos e ferramentas às necessidades de cada gerência.

Destacam-se como resultados:
• Maior proximidade entre os gestores e consequente melhora na relação de confiança;
• Melhoria na relação e comunicação com a equipe, refletindo no clima interno;
• Domínio e aplicação de técnicas contemporâneas de gestão de pessoas.


Bettanin Industrial (RS)
Case: Inclusão de pessoas com deficiência intelectual/mental: O desafio de uma gestão bem-sucedida

O Programa Superar contempla a inclusão de pessoas com deficiência nas empresas InBetta, com destaque na deficiência mental/intelectual. O trabalho foi desenvolvido com o compromisso de incluir esses profissionais adequadamente, buscando conhecer as habilidades de cada deficiente, respeitando suas limitações, criando postos de trabalho efetivos, adequando as tarefas e proporcionando qualificação. Esse conjunto de medidas contribui para o aprimoramento do profissional fortalecendo sua autoestima e confiança.

O programa de inclusão contribuiu não só com o profissional com deficiência, mas com a empresa. Ajuda a promover o convívio com a diversidade e a desenvolver a consciência humana quanto aos profissionais com deficiência na organização. Dessa forma, além de atender uma exigência legal, a empresa alcançou resultados significativos, por ter acreditado e investido na potencialidade de indivíduos que, por falta de oportunidade, estavam fora do mercado de trabalho.

O sucesso do programa está diretamente vinculado à capacidade de desenvolvimento de pessoas com deficiência, aliado ao empenho dos profissionais envolvidos no processo de inclusão.

Especialmente a inclusão de deficientes intelectuais/mentais nas empresas InBetta é uma prática de destaque por sua contribuição social, por estar voltada a um grupo para o qual poucas organizações estão abertas e por obter sucesso no desenvolvimento, atração e retenção de profissionais com esse tipo de deficiência.

Mais informações
ritapi@inbetta.com


Certel Energia – Cooperativa de Distribuição de Energia Teutônia (RS)
Case: Capacitação compartilhada: A construção coletiva de empresas produzindo segurança e qualidade de serviços

O projeto retrata a qualificação de profissionais da área elétrica, que é realizada de maneira diferenciada. Essa qualificação é feita através de um processo colaborativo, utilizando o Centro de Treinamento em Eletricidade, situado junto ao Colégio Teutônia, em parceria com a Federação das Cooperativas de Energia (Fecoergs) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop-RS).

A criação do Centro recebeu forte incentivo da Certel Energia. Além de atender às determinações legais do setor elétrico brasileiro e às exigências do Ministério do Trabalho e Emprego, o Centro possibilitou a formação e atualização de profissionais da área elétrica, não apenas do quadro interno da empresa, como de associados e da comunidade regional.

Esse modelo de capacitação, que enfatiza a profissionalização e segurança do capital humano, hoje já beneficia não somente as demais cooperativas gaúchas de energia, parceiras do projeto, mas também outras concessionárias, que têm procurado o Centro para capacitar sua força de trabalho.

Mais informações
rhcertel@certel.com.br


Grupo Herval (RS)
Case: Rumos e PDL – Sua carreira passa por aqui

Com 55 anos de história baseada no empreendedorismo e na crença de que a diversidade nos negócios é a força da empresa, o Grupo Herval atua em nível nacional e internacional em cinco áreas – Indústrias, Serviços, Varejo, Varejo de Marcas Próprias e Atacados de Distribuição. Atualmente, a companhia conta com cerca de 6.300 colaboradores e reúne 11 empresas e 22 marcas.

Com a expansão dos negócios, foi necessário buscar inovação para a gestão da empresa familiar. Surgiu, assim, o Rumos, programa estratégico de implantação de metodologia de cargos e carreiras com base em competências, atrelando os subsistemas de RH num Sistema Integrado de Gestão de Pessoas.

Para possibilitar esse cenário de mudanças, os líderes foram apresentados aos novos rumos de Gestão de Pessoas participando do PDL – Programa de Desenvolvimento de Lideranças, que teve como grande objetivo capacitar e desenvolver competências para uma gestão voltada para o futuro.

O Rumos e o PDL alcançaram resultados que estão presentes em muitos fatores que constroem a gestão de pessoas, como a ênfase na visão de carreira, alinhados ao aumento no número de promoções; e o desenvolvimento de seus líderes, e consequentemente, a melhoria nos indicadores de recursos humanos.

Mais informações
danielli.seger@herval.com.br (coordenadora de Desenvolvimento Humano)


Hiperbárica Hospitalar (RJ)
Case: A utilização da alegria como oxigênio nos tratamentos interpessoais

Através de ações de gamification/ludificação, que é o conceito da empatia como ferramenta no atendimento e relacionamento com os clientes, a Hiperbárica Hospitalar buscou melhorar seus resultados. E essas ações fizeram com que as pessoas trabalhassem com mais alegria.

Visando a ressaltar as melhores práticas em uma pequena empresa, a área de RH apresentou um estudo de caso exaltando uma atuação diferenciada, centrada na alegria e no respeito ao próximo. Com base nesses valores, foi observado um comprometimento da equipe com um propósito maior, que é o de proporcionar o bem-estar entre todos, incluindo pacientes e colaboradores.

Os resultados alcançados foram significativos, com a melhora do clima organizacional e, consequentemente, o reconhecimento dos melhores cuidados dados aos pacientes e seus familiares.

Para dar uma ideia, o número de tratamentos realizados anualmente subiu de 22.983 em 2011 para 28.135 em 2013. Além de alcançar o aumento dos resultados financeiros, a organização passou a receber com frequência feedbacks positivos dos clientes externos, que, através de cartas e e-mails, agradecem pelo empenho da equipe.

E-mail de contato:
rh.hiperbarica@gmail.com (Elisabeth Matheus – Gerente de RH)


Intelbras – Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira (SC)
Case: Programa de Formação de Novos Líderes

Com o objetivo apoiar e desenvolver colaboradores promovidos a cargos de liderança no início da caminhada, o programa foi implantado em 2012 e já teve a participação de 45 líderes.

O programa propõe uma trilha estruturada, que contempla ferramentas multidisciplinares de aprendizagem. A partir desse direcionamento, o líder passa a absorver conhecimentos e a desenvolver a habilidades voltadas a gestão de equipe, processos e interfaces.

Cada etapa foi definida em módulos: assesment center (avaliação de perfil considerando os desafios do novo cargo), leitura (sobre o processo de transição e os primeiros passos na gestão), construção do Plano de Desenvolvimento de Liderança (considerando os desafios do novo cargo, identificados no assesment), ações de mentoring (experiências e dicas de líderes mais antigos), conhecimento das responsabilidades de um líder (perante políticas e processos de outras áreas), fortalecimento dos relacionamentos com as interfaces (conhecimento dos processos, rotinas e expectativas de áreas que fazem interface com o processo sob a responsabilidade do novo líder) e treinamento em gestão de pessoas e gestão de processos.

Durante todo o processo ocorrem encontros periódicos com o RH para reforçar os objetivos dos módulos, discutir as experiências vivenciadas e trocar ideias sobre a condução das etapas. A soma dessas ações traz a segurança e a base necessária para o sucesso do líder nesse processo de transição.

Mais informações
monica.nedel@intelbras.com.br


Kley Hertz (RS)
Case: A evolução da atuação da área de RH através da implantação do modelo de consultoria interna

A prática de Consultoria Interna visa à inovação e introdução de melhorias através do suporte aos gestores. A indústria farmacêutica Kley Hertz, ciente da necessidade de mudança e de que o capital humano influencia diretamente na qualidade dos produtos e serviços, implantou essa prática em 2011.

Entre os resultados, o turn over de desligados foi de 3,99% (2012) e 3,67% (2013). A pesquisa de clima de 2011 atingiu 71% de satisfação. A empresa conquistou o titulo de uma das 30 Melhores para Trabalhar no RS do Great Place to Work. A premiação se repetiu em 2012 e 2013 ( 76% e 80%, de satisfação respectivamente). Em 2014, o índice foi de 83%. Na pesquisa sobre a efetividade do modelo, aplicada nos gestores em 2013, 96% relataram que, após a mudança, o RH passou a ser mais atuante nas áreas.

Implantar a Consultoria Interna foi um desafio para a direção, que acreditou na proposta; para os gestores, que tiveram de aprender a dividir suas angústias, medos e conquistas; para a gerente de RH, que teve de abrir mão de algumas decisões, delegando para a equipe; e para as consultoras internas, que tiveram de confiar em si e alinhar-se entre si, com a sua gerência e clientes internos.

A implantação do processo mexeu com os papéis da empresa. Foi preciso muito protagonismo para gerar confiança para que o vínculo acontecesse e, com ele, a aprendizagem aflorasse.

Mais informações
ebortolon@kleyhertz.com.br
hbrochado@kleyhertz.com.br


Liderança Limpeza e Conservação (SC)
Case: Escola Padrinho & Madrinha

A Liderança Serviços desenvolveu um programa de acompanhamento aos novos colaboradores, visto que estes eram inseridos na empresa de maneira desestruturada, ou seja, passavam pelo treinamento admissional realizado pelo RH e eram direcionados para sua gestão. Esse processo era encerrado no momento em que o RH entregava o colaborador ao gestor. Muitas vezes, o recém-chegado já recebia demanda para realização de algumas atividades.

Os gestores não tinham condições de recepcionar, integrar, dar o suporte necessário, nem elaborar o cronograma de treinamento técnico de cada cargo, já que as atividades são complexas e específicas. Essa situação gerava várias consequências não positivas para a imagem da empresa.

A Escola Padrinho & Madrinha tem como principal foco a capacitação dos colaboradores, que passam a ser os “cuidadores” dos novos colaboradores, garantindo assim o acolhimento e acompanhamento integral através da conclusão dos treinamentos específicos a cada função.

Esse programa gera alguns resultados positivos, como: novos colaboradores mais adaptados, melhoria da satisfação do cliente interno, melhor “primeira impressão” sobre a empresa, diminuição do tempo de qualificação e adaptação do novo colaborador, além de valorizar os colaboradores que se dedicam à função de padrinho ou madrinha.

Mais informações
samara.recchi@lideranca.com.br (Coordenadora de RH)


Light Serviços de Eletricidade (RJ)
Case: Programa Vida! Construção de uma cultura de valor à vida e acidente zero

Desde 2010, os índices de frequência e gravidade dos acidentes de trabalho entre empregados próprios e terceirizados aumentavam na Light. De 2010 para 2011, cresceram mais de 50% e os casos fatais passaram de dois para cinco; e o ano de 2012 seguia a mesma tendência.

Foi realizado um diagnóstico organizacional que comprovou uma cultura de segurança incipiente. Era preciso empreender uma significativa mudança cultural, que gerasse envolvimento coletivo.

O Programa Vida! tem como objetivo gerar reflexão acerca da importância da preservação e valorização da vida, por meio da percepção do risco, da responsabilidade individual e coletiva, do comportamento seguro e das atitudes prevencionistas. Nenhum trabalho seria tão importante ou urgente que não pudesse ser realizado com segurança.

Dentre as iniciativas, destacam-se: criação coletiva dos princípios do programa, formação de multiplicadores do programa, sensibilização em sala de aula com toda a força de trabalho, revisão de políticas e procedimentos, comunicação massiva e ampliação da parceria e relacionamento com as empresas prestadoras de serviço.

Os resultados já são tangíveis: redução nos índices de frequência (-32%) e gravidade (-90%) dos acidentes. Em 2013, a empresa chegou ao marco de zero acidentes fatais ou incapacitantes. O programa tornou-se sinônimo de transformação cultural da companhia e tem permitido deixar um legado na vida dos colaboradores.

Mais informações
aline.nuffer@light.com.br
jacqueline.carrijo@light.com.br


Rio Grande Energia – Grupo CPFL (RS)
Case: Programa Fale Comigo

Visando a uma melhor qualidade de vida para o cliente interno, o Grupo CPFL possui uma ferramenta de assessoria psicossocial gratuita e especializada nas áreas jurídica, social, psicológica, fonoaudióloga e financeira, para que ele e sua família encontrarem a solução de um problema de maneira rápida e confidencial.

Trata-se de um programa de utilização irrestrita, com aconselhamentos de profissionais por um telefone 0800. Os atendimentos podem ser presenciais, dependendo de cada caso. A participação pode se dar por decisão própria ou por solicitação do RH, do médico do Trabalho ou, ainda, do gestor.

O contato com o programa pode ocorrer por telefone fixo ou por celular. A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer lugar do Brasil. O processo de aconselhamento envolve três etapas: clarificar o problema, pensar em alternativas e desenvolver um plano de ação. Mensalmente são enviados relatórios com todos os dados de atendimentos realizados, sem identificação do empregado garantindo, dessa forma, o sigilo.

O maior resultado para a empresa é contribuir para a qualidade de vida da equipe, proporcionando a cada cliente interno um canal de atendimento psicossocial.

Mais informações
dleitzke@rge-rs.com.br (Daniela Oliveira Leitzke)


Romagnole Produtos Elétricos (PR)
Case: Programa Crescer

As empresas têm cada vez mais necessidade de criar estratégias para o desenvolvimento do capital humano, visto que o país passou por um crescimento econômico que torna as demandas organizacionais cada vez mais complexas e, ao mesmo tempo, influencia diretamente a falta de mão de obra qualificada.

A partir desse desafio, a Romagnole estruturou, em 2011, o Programa Crescer com o objetivo de reter os colaboradores e desenvolver as competências comportamentais necessárias ao cargo ocupado e aos possíveis cargos que estes poderiam assumir, visando a prepará-los para futuros desafios na organização.

Desde o inicio do programa até o final de 2013 foi possível notar um número significativo de aproveitamento, uma vez que 36% foram promovidos, 3,5% foram aproveitados em cargos equivalentes e o percentual de desligamento, por sua vez, foi apenas de 10%, indicando assim um bom índice de retenção aos participantes do programa.

A empresa entendeu que as pessoas podem se desenvolver e que o incentivo nesse sentido aumenta a motivação e a permanência dos profissionais de alto desempenho na empresa, permitindo assim maior vantagem competitiva para a organização.

Mais informações
rosane@romagnole.com.br


Sanremo (RS)
Case: Programas Participativos Sanremo – Gente com paixão pelo que faz!

A Sanremo trabalha com o conceito de gestão participativa, por isso mantém um conjunto de práticas denominadas Programas Participativos Sanremo, integrados por Times de Melhorias, Caixa de Sugestões e Semana da Inovação e Excelência.

Os Times de Melhorias iniciaram na década de 1990; são grupos formados com o objetivo de potencializar a resolução de problemas através de conhecimento técnico aliado à metodologia e estímulo ao trabalho em equipe. Já a Caixa de Sugestões é um programa que possibilita a apresentação de ideias e melhorias com benefícios aos trabalhadores e à organização. E a Semana da Inovação e Excelência acontece anualmente e reúne uma programação de palestras, apresentação dos projetos da Caixa de Sugestões, Times de Melhorias, Mostra de Ideias e premiação dos Melhores do Ano.

Alinhados à estratégia do negócio, esses programas impactam significativamente nos resultados da organização. São práticas que contribuem para disseminação de informações, reconhecimento dos profissionais, clima de trabalho favorável, melhorias em processos, melhorias ergonômicas e redução de custos.

A continuidade e a consolidação dos Programas Participativos, aliadas à dedicação dos profissionais, demonstram que o valor Paixão pelo Negócio se revela na relação entre as pessoas, equipes que trabalham superando expectativas, Gente com Paixão pelo que Faz.

Mais informações
cicimar.schultz@sanremo.com.br


Service IT Solutions (RS)
Case: Beneflex – Plano de benefícios flexíveis

Hoje a remuneração total de um funcionário é constituída de três componentes: remuneração básica, incentivos salariais, e benefícios. A remuneração total torna-se um meio de atender às várias necessidades dos indivíduos. Nesse cenário, não só o salário é importante para a atração e retenção de talentos; os benefícios passam a ser um diferencial, já que compõem a remuneração total.

Cada vez mais, as empresas procuram desenvolver novas estratégias de remuneração para se diferenciar no mercado. Nesse caso, um pacote de benefícios flexíveis pode ser um aliado, já que, hoje, através de pesquisas salariais, é possível manter salários competitivos e os pacotes de benefícios fixos são muito similares.

O case apresenta o tema como uma ferramenta de atração e retenção de talentos para a Service IT, além de um desafio, por ser uma empresa de médio porte prestadora de serviços na área da Tecnologia da Informação.

Chamado Beneflex, o plano tem como objetivo tornar a empresa mais competitiva no mercado, de forma a atrair e reter talentos e oferecer para o seu quadro funcional vantagens especificas a cada colaborador.

Consiste em um modelo estruturado para que todos tenham a oportunidade de escolher, dentro de critérios previamente definidos, os benefícios que mais se encaixam no seu perfil pela condição familiar e pelo seu momento de vida.

Mais informações
rh@service.com.br


WEG (SC)
Case: CentroWEG

Ganhar competitividade por meio de ganhos de produtividade diante de um cenário de escassez de mão de obra qualificada é um grande desafio para o crescimento do país. A educação é o caminho mais certo para o desenvolvimento de uma empresa, de uma cidade, de uma nação. Por isso, a WEG investe muito, desde o começo de sua história, no treinamento de seus colaboradores e em projetos de educação e cultura.

O CentroWEG é um clássico exemplo disso. Trata-se de uma escola técnica profissionalizante, cujo objetivo é formar profissionais para trabalhar na empresa. O modelo, trazido da Alemanha após a primeira visita dos três fundadores da WEG à Europa, até hoje oferece capacitação para jovens com idade entre 16 e 18 anos.

Atualmente, são 262 alunos matriculados em sete cursos: Eletrônica, Eletrotécnica, Ferramentaria, Usinagem, Mecânica de Manutenção, Química e Montagem Eletromecânica. Além da qualificação profissional, todos os formandos têm oportunidade de emprego após o término do curso. A companhia procura candidatos que realmente se interessem pela vaga e que se enquadrem no perfil da WEG.

De 1968 até hoje, mais de 3.000 alunos iniciaram sua carreira com o CentroWEG. Destes, muitos permanecem na empresa, vindo a ocupar funções importantes como analistas, técnicos, projetistas e cargos de liderança.

Mais informações
marciov@weg.net



MODALIDADE GESTÃO DE PESSOAS – ACADÊMICA

Categoria Graduação

Viviane Peçaibes de Mello – Unisinos (RS)
Case: O design estratégico como agente no tratamento da dependência química através de um jogo terapêutico

A autora ingressou na graduação em Design através do Prouni com bolsa integral, sem a qual não poderia frequentar o curso em uma universidade particular. O tema escolhido para o Trabalho de Conclusão do Curso foi a forma encontrada de retribuir à sociedade essa oportunidade. E, também, porque, para ela, o design vai além da forma e função dos objetos, possuindo propriedades para ajudar a sociedade e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Daí a escolha de um tema vinculado à saúde mental, área distante do design, mas que precisa de inovação.

A dependência química é uma doença carente de ferramentas para auxiliar e potencializar o engajamento dos usuários ao tratamento e fortalecer os laços afetivos quebrados com a família em função do vício.

O case é a construção de um jogo de tabuleiro composto de cartas e casas de ação, com o objetivo de ajudar os participantes a aprender conceitos da psicoeducação, criar estratégias de prevenção à recaída, e trabalhar em equipe com o seu familiar na dramatização de uma situação de risco, promovendo, assim, a aproximação dessas pessoas.

É uma espécie de “simulação” do dia a dia de um paciente e sua família, que permite tratar de assuntos sérios de forma lúdica e leve. Assim, o aprendizado dos conceitos e as estratégias criadas durante o jogo são mais eficazes e melhor assimilados, auxiliando na manutenção da abstinência e envolvendo o paciente e a família no tratamento.

Mais informações
vivianepecaibes@gmail.com


Categoria Pós-Graduação

Andréa Galhardo Monteiro Alves, Jorge Luiz Monteiro Arruda e Juliane Cristina Ferreira Salgueiro – Universidade Federal de Pernambuco/Centro de Ciências Sociais Aplicadas/Depto. de Ciências Administrativas (PE)
Case: Habilidades essenciais de consultores a luz dos modelos de consultoria de Chris Argyris, Edgar Schein e Peter Block

A complexidade dos ambientes organizacionais e o questionamento sobre soluções salvadoras, conduta ética dos consultores e modismos gerenciais a partir do século XX passaram a exigir consultores mais competentes. Visando a identificar as habilidades essenciais para que os consultores atuem com mais eficácia, foi desenvolvido um estudo entre as habilidades postuladas pelos teóricos Argyris, Schein e Block, por eles entenderem a consultoria organizacional como processo de ajuda.

O estudo resultou numa síntese comparativa das habilidades, convergências, divergências, complementariedades e lacunas identificadas nas suas percepções e nas seguintes conclusões:

a) necessidade de aprofundar a compreensão do modelo de intervenção proposto por esses teóricos;

b) verticalização na compreensão dos significados das habilidades propostas para favorecer a sistematização e uniformização da nomenclatura, objetivando dar consistência à construção de um quadro de habilidades essenciais ao consultor;

c) habilidades técnicas, por si só, não dão conta das exigências atuais das organizações demandantes de consultoria externa;

d) a atividade de intervenção deixa de ser uma proposta de trabalho unilateral e passa a considerar axiomática a inclusão do sistema-cliente no processo de intervenção; assim, é requerido ao consultor habilidades que o diferencie para exercer a consultoria num modelo mais orgânico.

Mais informações
galhardoandrea@hotmail.com
jarruda@smartsat.com.br
jsalgueiro@hotlink.com.br


Cleomir Vaz – Univille – Universidade da Região de Joinville (SC)
Case: A personalidade humana e a geração de resíduos sólidos industriais: Um estudo de modelo psicológico

O case teve como motivação identificar se as características comportamentais das pessoas as movem para uma atuação profissional de satisfação e resultado, assim como buscar compreender e não simplesmente julgar as pessoas.

O trabalho objetivou avaliar a relação de diferentes modelos mentais psicológicos com a geração de resíduos sólidos industriais. Quantiqualitativa, a metodologia foi aplicada em uma empresa do segmento têxtil, utilizando como base a definição do modelo mental dos colaboradores, com aplicação e análise do teste psicológico QUATI, distribuição dos colaboradores por modelo mental psicológico em células de trabalho e avaliação da geração de resíduo por célula.

Os resultados mostraram que colaboradores com modelo mental racional e cuidadoso geraram menor quantidade de resíduos e aqueles com modelo mental experimental geraram maior quantidade de resíduos se comparado com o índice atual da empresa, permitindo uma melhor composição de colaboradores por célula.

O impacto financeiro apontou no setor estudado uma economia de matéria-prima de R$ 700 mil ao ano. Os resultados de cunho comportamental contribuem para uma gestão de pessoas voltada tanto para o potencial relacionado ao perfil quanto para a otimização do capital humano na redução da geração de resíduos, fazendo com que organizações possam realmente se tornar ecoeficientes e mais rentáveis.

Mais informações
psicologocleomir@yahoo.com.br



MODALIDADE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL – ORGANIZAÇÃO CIDADÃ

Ambulatório de Dermatologia Sanitária da Secretaria Estadual da Saúde (RS)
Case: Promovendo o acesso a testes rápidos de HIV, sífilis, hepatites B e C para pessoas em situação de vulnerabilidade: A experiência pioneira do Centro de Testagem e Aconselhamento do Ambulatório de Dermatologia Sanitária

Buscando ampliar o acesso ao diagnóstico e tratamento, o CTA/ADS foi o primeiro no Rio Grande do Sul a implantar a testagem rápida de HIV, sífilis e hepatites B e C para todos os seus usuários, constituindo mudança importante no serviço oferecido.

Desde outubro de 2012, a pessoa é acolhida, recebe aconselhamento individual e informações sobre as doenças, inclusive sobre transmissão, prevenção e tratamento, além de apoio emocional no momento da testagem e possível diagnóstico. O resultado de seus exames é entregue, em média, em 40 minutos.

Justifica-se a implantação dessa política pele elevada taxa de incidência de Aids no estado (40,2 casos para 100 habitantes) quase o dobro da média nacional (20,2).

Desde a implantação da testagem rápida, o número de pessoas atendidas aumentou em 130%. O percentual de resultados de exames não entregues caiu de 20% para 2,4%.

Também foi identificado o aumento de exames entre populações consideradas mais vulneráveis: profissionais do sexo, usuários de drogas, portadores de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), homens que fazem sexo com homens, travestis, transexuais e pessoas em exclusão social.

Mais informações
cta-ads@saude.rs.gov.br


Associação Educadora São Carlos – Hospital Mãe de Deus (RS)
Case: O tempo da semeadura de sonhos: Garantido os direitos humanos infanto-juvenis por meio do trabalho educativo

No contexto de vulnerabilidade social, pensar em escolhas e sonhos parece até um privilégio. Assumindo o desafio de mudar essa realidade, apostando na potência das escolhas e do sonho, o Hospital Mãe de Deus, com seu trabalho comunitário na Vila Gaúcha, desenvolve desde 2004 o Programa Trabalho Educativo, em convênio com a Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC) da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

O objetivo é disponibilizar e construir um espaço de convivência, onde a formação tenha como foco a participação e o exercício da cidadania. Os jovens considerados em situação de vulnerabilidade social, de 14 a 17 anos, participam de atividades e ações promotoras de emancipação e práticas de autonomia.

Pouco a pouco, os profissionais foram descobrindo que precisariam, mais do que educadores, serem catalisadores de sonhos, capazes de impulsionar a imaginação dos adolescentes. Desde 2004, 156 adolescentes ressignificaram seu projeto de vida, conciliando a educação na escola regular com a permanência no Programa Trabalho Educativo, sediado na própria comunidade.

O serviço possibilita aos jovens a experimentação das escolhas para além da repetição da violência, mantendo-se vinculado ao seu cotidiano, ao seu território como terra fértil para a materialização dos sonhos, desconstruindo o pensamento de carência pela ideia da potência.

Mais informações
arlete.fante@maededeus.com.br


Companhia Águas de Joinville (SC)
Case: Pró-Acessibilidade: Um passo além da acessibilidade

O Programa Pró-Acessibilidade tem como objetivo trazer um novo entendimento para o tema da acessibilidade, no que tange ao atendimento comercial e técnico para pessoas com dificuldades de locomoção e/ou com mobilidade reduzida na Companhia Águas de Joinville.

Depois do atendimento a uma idosa com deficiência, que chegou cansada e com muitas dificuldades até o atendimento presencial, foi pensada uma proposta para suprir essa necessidade, com foco especializado, resolutivo e domiciliar. Surgiu, então, o programa, que prioriza atendimentos in loco, parcerias com entidades que prestam atendimento a esse público e um trabalho interno com os atendentes, destacando o atendimento com sensibilidade e atenção às especificidades de cada um.

Em 2013 foram realizados mais de 500 atendimentos virtuais e, no primeiro semestre de 2014, a empresa contabilizou mais de 170 visitas. Além disso, foi verificada maior sensibilidade no atendimento aos clientes preferenciais nos postos presenciais. O portal de atendimento da companhia marcava cerca de 2% de seus clientes como preferenciais e hoje já são cerca de 8%. Os resultados positivos são atribuídos à efetividade do projeto.

O atendimento com qualidade é uma das metas da Companhia Águas de Joinville e, com toda a certeza, para os atendentes, a acessibilidade é um conceito do passado: a era agora é da pró-acessibilidade.

Mais informações
nucleosocial@aguasdejoinville.com.br


CVI Refrigerantes (RS)
Case: Coletivo Coca-Cola – Aplicação do projeto na área de atuação da CVI Refrigerantes

O Coletivo Coca-Cola, projeto idealizado pela Coca-Cola Brasil e desenvolvido em parceria com seus fabricantes, tem o objetivo de preparar jovens de 15 a 25 anos para o mercado de trabalho por meio de cursos de capacitação profissional. A CVI Refrigerantes, fabricante autorizada da Coca-Cola Brasil, oferece uma unidade do curso em Santa Maria, região central do Rio Grande do Sul.

O projeto é desenvolvido em parceria com a ONG Projeto Nações em Ação, onde uma sala foi reformada e equipada para receber todos os alunos. O curso tem duração de dois meses e é focado na preparação para o mercado de varejo.

Além de teóricas, as aulas também são práticas: ao final, os alunos têm a oportunidade de aplicar seus conhecimentos elaborando planos de negócio para comércios locais. Outra vantagem é que todos participantes recebem auxílio no encaminhamento para o mercado de trabalho, por meio do envio de seus currículos às empresas parceiras do projeto.

Hoje, o Coletivo está presente em 150 comunidades espalhadas por todo o país e já formou mais de 70 mil jovens. Somente a unidade da CVI Refrigerantes já capacitou 369 jovens, dos quais ao menos um terço já está formalmente empregado. A expectativa é de que, até o final de 2014, mais 100 jovens se qualifiquem por meio do programa.

Mais informações
www.cvi.com.br/social/coletivo
Tel. (55) 3290-1573


DMAE – Departamento Municipal de Água e Esgotos (RS)
Case: Trabalho social em saneamento: Uma experiência comunitária

Na implantação da Gestão em Saneamento, o DMAE objetiva a universalização e promoção da saúde e da qualidade de vida e promoção da sustentabilidade dos serviços. A partir disso, entre 2010 e 2012, foi desenvolvido um projeto piloto de Trabalho Técnico Social, com equipe multidisciplinar, no sistema de esgotamento sanitário Sarandi, em Porto Alegre.

Foi percebido que não havia participação das pessoas nas obras de esgotamento sanitário: o poder público construía redes, mas as ligações domiciliares não eram realizadas. Ou, quando as pessoas faziam essas ligações, descartavam lixo nela e a obstruíam. O objetivo era mostrar que o Trabalho Técnico Social podia auxiliar na resolução de problemas em conjunto com a comunidade.

A metodologia aplicada foi de fomentar a participação social através da mobilização e organização comunitária; educação sanitária e ambiental e controle social. Foi utilizado um conjunto de instrumentos concomitantes – qualitativos e quantitativos – para que se pudesse informar, esclarecer, ensinar, apreender, fiscalizar, controlar, planejar, discutir, brincar, passear e conhecer.

Nesse enfoque, os benefícios oriundos das atitudes e mudanças de comportamento permitiram o desenvolvimento das competências: análise, decisão, planejamento e pesquisa, ou seja, o que os atores sociais precisam para o pleno exercício da cidadania, de forma que a sustentabilidade dos empreendimentos locais seja alcançada.

Mais informações
andreia.costa@dmae.prefpoa.com.br
Aprendizagem@dmae.prefpoa.com.br


Leme – Laboratório de Endocrinologia e Metabologia (BA)
Case: Programa de voluntariado corporativo – Sementes do Leme

A criação do Sementes do Leme foi motivada pela necessidade de consolidar ações sociais já praticadas pelo Leme em um programa único de voluntariado corporativo, que permitisse mobilizar o público interno nas causas de responsabilidade social e ampliar a atuação social externa da empresa.

O programa possui uma estrutura corporativa com regras claras, modelo de gestão definido, utilização de indicadores para avaliação de resultados e outros elementos que garantem sua consistência. Colaborar para a melhoria do desempenho de organizações públicas ou sem fins lucrativos da área de saúde, com foco de atuação voltado para educação e gestão é o objetivo principal.

A participação nas ações do Sementes do Leme, além de trabalhar o sentimento de pertencer, fez com o que os colaboradores enxergassem a importância do compromisso firmado, a necessidade e utilidade do serviço prestado para as comunidades atendidas. Esse envolvimento acabou funcionando como uma importante ferramenta motivacional na gestão de pessoas.

Por todos os resultados obtidos em apoio às instituições AMA – Associação de Amigos do Autista da Bahia, Nacci – Núcleo de Apoio ao Combate do Câncer Infantil, Grupo Vontade de Viver e Fundação Lar Harmonia, o Leme acredita que, ao dar continuidade aos objetivos do programa, ampliando sua atuação, devolve à sociedade tudo que o tem conquistando ao longo de 42 anos.

Mais informações
www.sementesdoleme.com.br


Portobello (SC)
Case: Projeto Coral Anjos Luz Portobello

Composto por filhos de funcionários, o coral foi criado em 2004, no 25º aniversário da Portobello. Para comemorá-lo, foi realizado um evento que também homenageou os funcionários com 15, 20 e 25 anos de casa com canções interpretadas pelos próprios filhos. Em dezembro do mesmo ano, a empresa reuniu o mesmo grupo de crianças para cantar músicas natalinas. Nascia o Coral Anjos Luz Portobello.

O coral é um projeto da área de Responsabilidade Social, que, entre seus objetivos, prioriza auxiliar crianças e adolescentes no processo de apropriação, transmissão e criação de práticas músico-culturais como parte da construção de sua cidadania.

Além da música como essência, a formação da criança é ampliada com o desenvolvimento de várias questões, como cidadania, respeito, espírito de grupo, organização e expressão corporal, entre outras. Dessa forma, o coral abraça a responsabilidade de interferir significativamente na educação de seus participantes.

Tem sido constatado que a atividade pode ser contemplada num âmbito educativo e sério de reconstrução de conceitos e valores. Se cada criança ingressa no coral pelo simples prazer de cantar, não imagina os inúmeros benefícios com os quais está sendo contemplada. São vivências e experiências que se refletem na sua vida hoje e se refletirão no futuro.

Mais informações
leilaanjos@portobello.com.br (Leila dos Anjos Costa – Coordenadora)


Rovitex Indústria e Comércio de Malhas (SC)
Case: Para vencer o jogo da ergonomia

Há três anos, a Rovitex vem tratando com sucesso a questão ergonômica, assemelhando-se a um time de futebol bem entrosado. Através da contratação de um consultor na área, foram apontados os riscos ergonômicos na companhia. Com a empresa monitorada através da análise ergonômica, chegava o momento de montar o time, escolher cada membro para evitar que a bola do adversário – ou seja, a lesão ergonômica do trabalhador – chegasse até a defesa.

Assim, foi montado o time para entrar no Jogo da Ergonomia. Foram várias etapas para formação da equipe, treinamento das frentes de trabalho e sensibilização. Com muitas dessas etapas realizadas, o passo seguinte foi avaliar a percepção dos trabalhadores em relação à melhora das condições de trabalho, com foco em conforto físico e fadiga.

Um dos setores de maior impacto foi o de Costura, com substituição de cadeiras, ajuste de altura das mesas e implantação de tapetes antifadiga. Essas ações geraram grande proporção de percepção positiva em diversas regiões do corpo: 82% para coluna, 76% membros superiores e 79% para membros inferiores. As respostas positivas para fadiga e satisfação foram respectivamente 79% e 83% dos entrevistados.

A Rovitex sabe que essa partida só está começando e o time está atento às mudanças que a empresa sofre – seja no tocante a maquinário, layout ou ampliações – visando a garantir a vitória sempre.

Mais informações
viviane@espacolaboral.com.br
gilvânia.vilvert@rovitex.com.br


Simers – Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (RS)
Case: Trote Solidário Simers – Tradição universitária transformada a serviço da vida e da cidadania

Desde 2009, o Núcleo Acadêmico Simers (NAS) mobiliza faculdades médicas na realização de um importante projeto social: o Trote Solidário da Medicina do Rio Grande do Sul. A proposta foi introduzida nas faculdades médicas do estado como alternativa à prática tradicional da recepção aos calouros, que incluía risco e humilhação, promovendo indignação e medo na sociedade.

No Trote Solidário, veteranos e novos alunos da capital e do interior se engajam para coleta de alimentos, a serem distribuídos a entidades assistenciais, e doação de sangue, que contribui com os estoques de hospitais e hemocentros.

Em seis anos, 3.100 alunos tornaram-se doadores e foram distribuídas 100 toneladas de alimentos não perecíveis a entidades assistenciais e comunidades em situações de carência, em Porto Alegre, Pelotas, Rio Grande, Canoas, Santa Cruz do Sul, Viamão, Bento Gonçalves, São Lourenço do Sul, Passo Fundo e Lajeado. Isso significa alimentar 2.000 famílias, além de beneficiar pessoas através de hemoderivados.

Entre as universidades que participaram da ação estão: PUCRS, UCPel, UCS, UPF, UNISC, UFCSPA, UFPel, FURG e UFSM. De pioneiro entre os gaúchos a evento multiplicador de trotes similares em outros cursos, o case é um bem-sucedido projeto de promoção de cidadania e qualidade de vida, construído de forma coletiva pelos futuros médicos, que já iniciam capacitação profissional alinhados com o compromisso de fazer o melhor pelas pessoas.

Mais informações
diego.baisch@simers.org.br


Unimed de Blumenau - Cooperativa de Trabalho Médico (SC)
Case: Projeto de Inclusão Produtiva – Coopergips

O Projeto de Inclusão Produtiva é desenvolvido pela Unimed de Blumenau junto à Coopergips – Cooperativa dos Grupos de Inclusão Produtiva, polo Garcia, em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, objetivando incentivar a geração de trabalho e renda e valorização e qualidade de vida da mulher, além de promover os princípios do cooperativismo.

Inicialmente, a Coopergips confeccionava apenas produtos artesanais e, a partir da parceria, um de seus núcleos passou a confeccionar produtos descartáveis de hotelaria hospitalar que são adquiridos pela Unimed. Essa parceria permitiu o desenvolvimento de um portfólio com mais de dez produtos somente em produtos hospitalares.

Nesse período, a Unimed de Blumenau ofereceu: formação sobre qualidade na confecção, orientações sobre saúde, cooperativismo, negociação, segurança, ações de valorização da mulher, doações de equipamentos e materiais dentre outras.

Através de pesquisa realizada, 88% das cooperadas relatam melhora na renda; 69% passaram a cuidar mais da saúde, 54% tiveram interesse em realizar novos cursos, 54% melhoraram o relacionamento familiar e 31% voltaram a estudar.

A Coopergips atualmente conta também com uma estrutura administrativa demonstrando que o Projeto trouxe desenvolvimento profissional e pessoal, além de benefícios às famílias e à comunidade.

Mais informações
responsabilidadesocial@unimedblumenau.com.br


USBEE – Colégio Marista Rosário (RS)
Case: Grupo de Voluntariado: Desenvolvendo agentes de transformação social

Com cerca de 2.600 estudantes, o Colégio Marista Rosário, instituição de educação centenária, desenvolve o Projeto Solidariedade, que engloba o trabalho do Grupo de Voluntariado. Fundado oficialmente em 2007 por dez alunos, o grupo conta hoje com o trabalho de cerca de 70 estudantes de 8ª série e Ensino Médio, incentivados para contribuir com mudanças sociais e imbuídos do espírito de solidariedade, um dos norteadores da educação marista.

O objetivo desse grupo é proporcionar experiências de voluntariado em equipes organizadas, contribuindo na formação dos estudantes como cidadãos e cristãos capazes de fazer a diferença nos diversos ambientes por onde circulam. Suas atividades são coordenadas pelo Setor de Pastoral Escolar e contam com o acompanhamento de uma agente de Pastoral.

Durante todo o ano letivo são realizadas atividades sistemáticas nas seguintes instituições: Asilo Padre Cacique, Escola Marista de Educação Infantil Menino Jesus, Centro Social Marista Ir. Bortolini e Lar Santo Antônio dos Excepcionais, em Porto Alegre.

Antes das ações, os jovens participam de encontros destinados à preparação de dinâmicas de abordagem e interação com as crianças ou idosos, o que garante maior integração e efetivação dos objetivos. Normalmente são realizadas oficinas de teatro, pinturas de rosto, mágicas e brincadeiras muitas vezes concebidas pelos próprios voluntários através de sua formação escolar.

Mais informações
daniel.piccinini@maristas.org.br (Coordenador de Pastoral Escolar)
grace.barreto@maristas.org.br (Agente de Pastoral)
ascomk.rosario@maristas.org.br (Comunicação & MKT)


Vitória Provedora Logística (RS)
Vitória da vida: Combustível para um trânsito seguro

Atuando no setor de transporte de cargas desde 1999, a empresa utilizou seu conhecimento para trabalhar pela conscientização no trânsito. Com o objetivo de contribuir para diminuir as estatísticas de acidentes no trânsito, que matam mais de 40 mil pessoas por ano no Brasil, a Vitlog desenvolve ações de educação ao longo do ano, junto a seus colaboradores, entidades parceiras e a comunidade.

Em iniciativas como a Blitz de Carnaval, que aborda os motoristas na véspera do feriado, Alegrando a Vida, levando a educação no trânsito para as crianças, Carreata de São Cristóvão e Caminhada pela Vida, que chamam a atenção para a segurança, e palestras sobre as responsabilidades de cada um no trânsito, entre outras ações, os colaboradores da Vitlog se engajam e participam como voluntários.

Incentivando e desenvolvendo a conscientização da comunidade atingida pelo projeto, dos colaboradores da Vitlog Transportes, profissionais de outras organizações, adultos ou crianças, a empresa, desde 2007, já impactou diretamente mais de 35 mil pessoas com a mensagem de um trânsito mais seguro. Em sua página no Facebook, a Vitlog também gera conteúdo sobre o trânsito, já tendo atingido mais de 27 mil usuários.

Mais informações
dioletesilva@vitlog.com.br (Coordenadora de Cultura Organizacional)



MODALIDADE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL – ORGANIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR

Associação Instituto Marum Patrus – Imap (MG)
Case: Jovem no transporte

O projeto foi criado pela equipe do Imap – Instituto Marum Patrus depois de observada a deficiência constante de profissionais qualificados para o segmento do transporte rodoviário de carga.

O principal objetivo é oferecer capacitação profissional, a conscientização de práticas de cidadania e o primeiro emprego para jovens de 14 a 24 anos, gerando também oportunidade para jovens oriundos de regiões de vulnerabilidade social e de famílias de baixa renda na região metropolitana de Belo Horizonte.

São oferecidas 400 horas de conteúdo teórico sobre todo o processo operacional do transporte, administração e comportamento profissional, por meio de monitores voluntários que atuam nessas áreas. A empresa parceira do projeto, Patrus Transportes, oferece 880 horas de exercício da prática profissional através da contratação dos jovens como aprendizes, durante 16 meses.

A equipe Imap acompanha rotineiramente os jovens, seus líderes e os monitores, e observa que os jovens estão se desenvolvendo e contribuindo ativamente nos setores em que atuam. Através do projeto, vários jovens têm a possibilidade de se estabelecer como profissionais qualificados e experientes na empresa parceira ou em outras do mesmo ramo, contribuindo, assim, para o desenvolvimento sustentável.

Mais informações
jovemnotransporte@patrus.com.br


Fundação Fritz Müller (SC)
Case: Articulação: Uma atitude para a promoção da solidariedade – Campanha Lacre Solidário

Acreditar na força da solidariedade e no benefício que as cadeiras de rodas proporcionariam às pessoas com deficiência física foi o que motivou a Fundação Fritz Müller (FFM) e os jovens do Projeto Pescar a iniciarem, em setembro de 2012, a Campanha Lacre Solidário, cujo objetivo é trocar lacres de latinhas de alumínio por cadeiras de rodas. A arrecadação surgiu como uma oportunidade de integrar as unidades do Projeto Pescar de Santa Catarina, através da iniciativa da unidade de Battistella, em Rio Negrinho. O Projeto Pescar tem como objetivo a qualificação profissional dos jovens em vulnerabilidade social, assim como buscar desenvolver cidadãos mais responsáveis com o meio em que vivem.

Com esse propósito, os jovens do Projeto Pescar da unidade FFM/Havan/ Riffel, juntamente com a articulação da FFM, conseguiram mobilizar parceiros, apoiadores, clientes, comunidade blumenauense e de cidades vizinhas para que, em quatro meses, obtivessem nove cadeiras de rodas, superando as expectativas e levando a continuidade da campanha a 2013 e 2014.

Vale ressaltar os resultados intangíveis: consciência ambiental em relação à reciclagem, consumo consciente e o sentimento maior, que é proporcionar mais qualidade de vida por meio de pequenos gestos de solidariedade, fazendo diferença na vida daqueles que necessitam. “Agora tenho mobilidade, posso tomar sol e passear com conforto”, comentou Mauro Witzke, beneficiado da campanha em 2013.

Mais informações
responsabilidadesocial@fundacaofritzmuller.com.br


Grupo de Escoteiros Taquató (RS)
Case: Oasis Vila São Martim

Trata-se da ação comunitária que construiu uma praça no bairro São Martim em São Sebastião do Caí. Realizada em março de 2012, a ação utilizou a Metodologia Oasis, desenvolvida pelo Instituto Elos, na qual a comunidade participa ativamente de todo o processo de planejamento e realização da ação, garantindo o engajamento do público beneficiado e tornando os resultados mais duradouros.

Sob coordenação de uma equipe de jovens escoteiros entre 18 e 21 anos, a atividade recebeu apoio dos adultos voluntários do Grupo Escoteiro e de facilitadores da metodologia. A equipe realizou as etapas iniciais de pesquisa e planejamento, e contou com o apoio dos 250 escoteiros vindos de várias cidades do Rio Grande do Sul que participavam do 31º Mutirão Regional Pioneiro para o dia do mão-na-massa, quando a praça foi construída.

A ação apresentou resultados na melhoria da qualidade de vida e na garantia de direitos aos moradores do bairro, que passaram a contar com um espaço de lazer e socialização. Para os escoteiros, foi uma oportunidade de integração com uma comunidade próxima e o exercício de planejamento e execução de um projeto e do serviço comunitário.

O processo diferenciado proposto pela Metodologia Oasis criou um vínculo entre os jovens escoteiros e os moradores do bairro; por conta disso, depois da ação comunitária, foram diversas as oportunidades em que o Taquató voltou a Vila São Martim para a realização de melhorias na praça e outros locais próximos.

Mais informações
diogueraz@gmail.com (Diogo Laux)


Hospital Moinhos de Vento (RS)
Case: Ações de saúde bucal do Hospital Moinhos de Vento – Um sorriso que alegra vidas

Trata-se de um projeto social que tem ajudado a melhorar os sorrisos de pessoas que vivem em regiões vulneráveis. A difícil realidade de muitas comunidades fez com que se soluções criativas e persistentes fossem buscadas, alcançando resultados importantes nesse projeto, que é fundamental para cuidar cada vez melhor de vidas.

As equipes de Estratégia de Saúde da Família e de Saúde Bucal da Instituição Hospital Moinhos de Vento, através de parcerias com escolas e creches das regiões, Conselho Regional de Odontologia, Secretaria Municipal da Saúde, entre outros, desenvolvem ações de educação em saúde que envolvem apresentação de teatro com orientação sobre escovação, cárie e alimentação saudável; doação de escova de dentes e realização de oficinas de escovação.

Nos últimos quatro anos, 16 escolas e creches foram visitadas e 6.310 crianças, entre 4 e 6 anos de idade, participaram. O projeto oferece ações de prevenção e atendimento odontológico tanto nas regiões em que a instituição possui Equipes de Estratégia de Saúde da Família (Ilha da Pintada, Ilha Grande dos Marinheiros, Paulo Viaro, Chapéu do Sol e Núcleo Esperança), quanto por meio da Escola de Gestão em Saúde do Projeto Restinga e Extremo-Sul, onde são realizados cursos técnicos de saúde bucal.

Mais informações
shirlei.manteufel@hmv.org.br (Assessora de Comunicação)


Instituto Nextel (SP)
Case: Projeto Conectar Juvenil

A principal motivação por trás do projeto de aprendizagem Conectar Juvenil é a preocupação com a formação integral de jovens em situação de risco social, promovendo o seu acesso ao mundo corporativo. Mais do que ajudá-los na capacitação profissional com a experiência real no ambiente de trabalho, o programa interfere diretamente na vida desses jovens, ajudando-os a realizarem seus sonhos.

O Conectar Juvenil é formatado para que os alunos tenham a vivência corporativa, além do suporte das aulas teóricas. O programa tem duração de 15 meses, sendo 25% da carga horária são ministradas no Instituto e 75% da carga horária prática acontece dentro da empresa. Ao término do curso os jovens recebem a certificação em Assistente Administrativo e Comercial.

Para ingressar no projeto é necessário participar do processo seletivo, além de passar por uma entrevista individual, dinâmicas de grupo e elaboração de redação. Ao ser aprovado o jovem inicia simultaneamente o trabalho na companhia onde foi contratado, junto com o curso no Instituto Nextel.

Os resultados obtidos até agora são significativos: quase 4.000 jovens atendidos e 71% deles encaminhados para o mercado formal de trabalho.

Mais informações
leticia.ishiyama@nextel.com.br

ABRH